Terapia Artistica - Método


Todos nós conhecemos a sensação de bem-estar que é caminhar sob um belo céu azul, admirar um resplandecente girassol amarelo, atrair-se por uma reluzente maçã vermelha. As cores vibram em nossa alma de forma espontânea, provocando sensações e reações que aceitamos com naturalidade. Aí residem suas qualidades curativas, que ao seu contato movimentam nossa alma.

Geralmente as cores encontram-se contidas em formas, sejam em objetos ou superfícies onde a luz incide e se reflete criando efeitos de volumes e sombras. Estes são os elementos de que trata a arte, possibilitando os efeitos de impressão, aos sentidos, a expressão e aos sentimentos.

Os exercícios da Terapia Artística são desenvolvidos a partir dos elementos das artes plásticas, na pintura em aquarela, desenho, modelagem e outras modalidades. A atuação das cores e das formas, com suas forças sanantes e revitalizadoras, desbloqueia e harmoniza os elementos que estiverem adoecidos e desvitalizados. Corpo e alma participam do processo terapêutico que transforma e reequilibra através das vivências e experiências criativas.

A Terapia Artística foi criada a partir de trabalhos com pintura dos pacientes da medicina antroposófica em uma clínica na Suíça, onde a pintura era por vezes prescrita como parte do tratamento médico. Lá, nos princípios do século XX, surgiu pela primeira vez um atelier terapêutico onde pessoas com formação em pintura trabalhavam com pacientes internados na clínica, utilizando aquarela e cerâmica. A partir dessa experiência, o valor terapêutico do elemento artístico passou a ser avaliado e comprovado como auxiliar valioso para o tratamento de várias enfermidades.

A Terapia Artística costuma ser aplicada em sessões semanais, individualmente ou em grupos, em todos os casos de doenças físicas ou emocionais, e ainda como um processo de auto-conhecimento e desenvolvimento interior. Não é necessário conhecimento artístico prévio ou qualquer habilidade especial, bastando tão-somente um verdadeiro desejo de superar dificuldades, transformando-as em possibilidades criativas.

Método

A aquarela é o principal método artístico usado no trabalho terapêutico, podendo ser trabalhada em papel molhado ou seco. No primeiro método, a água que se encontra no papel possibilita grande fluidez e maleabilidade ao pincel, tornando o encontro das cores e formação de novos tons muito agradável.

No método com papel seco (ou velado), o trabalho é mais lento e consciente, pois as camadas de cores precisam ficar bem secas antes de nova aplicação. O resultado é de transparência e profundidade na luz, possibilitando a vivência de amplos espaços internos.

Cores

A luz encontra seu caminho através do arco-íris das cores, onde toda a harmonia das polaridades manifesta-se em equilíbrio. Em nossas aquarelas usamos as cores amarelo, vermelho e azul, que ao serem trabalhadas em transições e sobreposições resultam em belos verdes, laranjas e violetas.

Cada cor possui sua energia e movimentos próprios, que serão os instrumentos de criação e possibilidade de expressão na construção de cada imagem pintada em exercícios cromáticos e transições de cores.

Nos trabalhos em desenho são usados lápis-carvão, lápis de cor, giz de cera ou giz pastel.

Temas

Os exercícios da Terapia Artística foram desenvolvidos de forma a evocar as energias sanantes necessárias aos diversos males que afligem a alma humana, dando ênfase à criatividade e positividade do ser.

O arco-íris é a mais importante vivência em pintura, seguida das estações do ano, as horas do dia ou temas de épocas do ano (Natal, Páscoa, etc.). São usados também cópias de pintores famosos, em paisagens, flores, plantas, animais, ser humano e outros.
Indicações
Processos físicos: doenças ginecológicas, cardiovasculares, reumatismo, câncer e outros.
Processos psicossomáticos: alergias, asma, vitiligo, gastrite nervosa, dermatite e outros.
Processos emocionais: estresse, insegurança, medo, pânico, ansiedade, bloqueios e outros.
Processos de auto-conhecimento: fases da vida, mudanças, complementação a outros trabalhos terapêuticos, bloqueio de processo criativo, busca de novas formas de expressão e outros.

Fonte: Mary Porto

Sem comentários:

Enviar um comentário