Na arte de um inadaptado...

Lê-me na tela que pinto,
Percebe-me nas cores que uso,
Sente como eu sinto..
O silêncio como um escudo!.
Lê-me nas linhas traçadas,
Nos sombreados onde me escondo
Sente-me nas lágrimas caiadas..
E percebe o que não conto!
Lê-me no corpo parado,
Percebe-me, preciso de ti,
Sou Ser Humano fechado
No sonho que já esqueci!
Lê-me os gestos das mãos
Percebe-me o olhar distante.
Sente-me com o coração...
E ama-me como teu semelhante!

ANA MARTINS

Sem comentários:

Enviar um comentário