Arteterapia e Esquizofrenia

No final do século XIX, com os estudos do francês Ambroise Tardieu (1872) psiquiatras passaram a observar produções plásticas realizadas espontaneamente pelos doentes mentais, facilitaram suas produções e estudaram-nas sob diferentes ângulos teóricos. Muitos destes trabalhos artísticos foram apresentados em eventos científicos e em exposições de arte, provocando reflexões e mudanças no campo da saúde mental e das artes.

A técnica de Arteterapia surge com Margaret Naumburg, para ela a Arteterapia dinamicamente orientada, estimulava a capacidade criativa do individuo, auxiliava-o a projetar seus conflitos interiores em formas visuais e posteriormente de forma verbal.(ANDRADE, 2000)

Em 1946, Nise da Silveira (1906-1999), médica psiquiatra, brasileira, indignada com as formas de tratamentos desenvolvidas nos hospitais psiquiátricos, tais como: eletrochoque, lobotomia, insulinoterapia e confinamentos, inseriu no Centro Psiquiátrico de Engenho de Dentro – RJ, ateliês de pintura, escultura, oficinas de literatura, sala de jogos e outros. Os resultados rapidamente apareceram, confirmando que as oficinas de arte ultrapassavam o limite do lazer e da distração.

As oficinas de pintura e modelagem delineavam caminhos para o mundo interno do individuo esquizofrênico. Para ampliar seus conhecimentos, Nise da Silveira manteve correspondência com Jung, que a orientou a estudar outras culturas, símbolos, mitos e contos de fadas, para uma maior compreensão dos conteúdos expressões pelos doentes mentais. Com os inúmeros trabalhos artísticos de seus pacientes.

A Arteterapia tem como principal objetivo a busca do equilíbrio psicológico, desenvolver a psique saudável e favorecer o contato com conteúdos internos transformadores.

A Arteterapia trabalha a saúde mental e estamos falando de saúde mental do dia-a-dia, de estresses, de psico-somatização, de desequilíbrio emocional diário devido ao trânsito, aos conflitos familiares, sociais e profissionais. Portanto, a Arteterapia é indicada para pessoas de todas as idades, desde de crianças a idosos.

Os estudos das expressões artísticas de diferentes tipos de pessoas verificaram que o processo criativo envolvido nas atividades artísticas terapêuticas é enriquecedor para a qualidade de vida, que o ato de criar orientado amplia o auto conhecimento e aumenta a auto estima. Ao mesmo tempo oferecem alternativas de ação e reação ao cognitivo, de lidar mais adequadamente com as emoções e sentimentos, modificando as formas de pensar sobre situações de estresse e experiências traumáticas.

A Arteterapia utiliza, para isso, as linguagens expressivas da arte, tais como: plástica, sonora, dramática, corporal e literária envolvendo as diferentes técnicas de cada uma. Por exemplo: desenho, pintura, modelagem, construções, sonorização, musicalização, dança, drama e poesia. Além das linguagens artísticas a Arteterapia está alicerçada sobre teorias psicológicas,neste caso sobre a psicologia analítica de Carl Gustav Jung.

Com este breve relato sobre a arte a Arteterapia e a sua prática em psiquiatria e processos terapeuticos pretendi situar no tempo e ressaltar a importância das técnicas artísticas como meio de comunicação entre pacientes e o mundo, entre a realidade interna e a realidade externa. A Arteterapia oferece a possibilidade de maior compreensão e confronto com os conteúdos constelados na psique de cada paciente, com variação dos conteúdos simbólicos em função da história pessoal, cultural e religiosa de cada um.

A Arteterapia nos últimos dez anos se desenvolveu bastante no Brasil, várias associações foram formadas, muitos cursos de pós-graduação surgiram no mercado. O campo de atuação para o profissional arteterapeuta ampliou-se, podendo atuar em órgãos públicos e privados, nas áreas da saúde, educação, institucional e organizacional.

A articulação entre os diversos campos do saber deve ser uma preocupação constante do especialista em Arteterapia. Assim, sua preocupação com o desenvolvimento da capacidade mental, criativa e crítica dos sujeitos com os quais irá trabalhar.

Sônia Bufarah Tommasi
Autora do livro: Arte-Terapia e Loucura

Sem comentários:

Enviar um comentário