Tratamento psicológico de custos reduzidos através de jogos e arte

A Sociedade Portuguesa de Arte Terapia quer fazer com que o tratamento seja acessível a nível nacional e através de um programa de preços reduzidos que vai ser apresentado sábado, em Lisboa, no VII Congresso Nacional de Arte Terapia.Através do Programa de Intervenção Psicossocial (PIPS), a Sociedade Portuguesa de Arte-Terapia (SPAT), que trabalha com a Arte-Terapia desde 1996, pretende divulgar a terapêutica como um novo caminho para tratar problemas do foro psicológico, recorrendo à criação artística em substituição da verbalização da terapia convencional. Com a criação deste programa, cujos preços são calculados com base no rendimento familiar e podem variar entre um pagamento simbólico e os 40 euros, a SPAT quer intervir junto de comunidades carenciadas, que de outra forma não teriam acesso à terapia.

No entanto, o PIPS está aberto a qualquer pessoa, porque tem como objectivo divulgar o que é a arte-terapia, como valência terapêutica e psicoterapêutica, alargando o funcionamento da Sociedade e o seu trabalho ao exterior.

O psicólogo e arte-terapeuta, João Bucho, explicou à agência Lusa que muitas das pessoas que se dirigem à SPAT estão "aborrecidas" com a terapia convencional, fartos de falar ou têm medo de verbalizar.As pessoas procuram ajuda a nível do desenvolvimento pessoal e conhecimento próprio e não são necessariamente doentes ou loucos.Hoje em dia, explicou João Bucho, a sociedade ensina-nos a bloquear, "a virar para dentro e encontram-se muitas pessoas com graus de grande inferioridade, fraca auto-estima e acentuado sentimento de desvalorização".

Acreditando que pode mudar esta situação, o indivíduo pode vir a reconhecer as suas fragilidades e começar a alterar o seu comportamento.

Os pacientes chegam às sessões de arte-terapia, além do contacto directo com a SPAT, através de centros de saúde, psicólogos ou psiquiatras e de arte-terapeutas formados para acompanhar crianças, adolescentes, adultos e idosos.A SPAT recebe, por exemplo, casos de crianças com défice de atenção, adultos com depressões ou idosos com doença de Alzheimer.

Para responder aos casos, a Sociedade tem um universo de arte-terapeutas muito eclético, que inclui médicos, professores, psicólogos e até um músico.Por enquanto, a actuação está centrada em Lisboa, na sede da SPAT, em Torres Vedras e existe uma arte- terapeuta no arquipélago da Madeira.

Há pessoas que apenas procuram a arte-terapia, numa abordagem superficial, pontual e sem interpretações; outras precisam da arte-psicoterapia, que tem como objectivo a transformação de um problema e que, por isso, obriga a um acompanhamento mais regular.Recorrendo aos mediadores artísticos - desenho, som, escrita, jogos, drama, colagens -, o arte-terapeuta estimula o paciente a expor aquilo que o perturba através da criação de uma obra de arte.

Um mediador, disse João Bucho, é "tudo aquilo que permite a exposição do 'Eu' interior, uma forma para a pessoa expressar as suas várias facetas".Quando se facilita a exposição do "Eu" com recurso à criatividade em detrimento da palavra, a tendência é para haver mais liberdade de expressão e de acção."A criação é como um espelho, um prolongamento de cada pessoa. Num desenho, todos os objectos representam alguma coisa, um estado de espírito no momento da criação", afirmou João Bucho.Seja uma criança ou um idoso, o terapeuta quer que o paciente "ouse brincar".

A relação terapêutica é diferente da convencional, porque incide basicamente num triângulo: o criador (o paciente), a obra de arte (o que ele faz) e o receptor da obra (o terapeuta).O paciente não tem de ser artista, nem a sua criação tem de obedecer a critérios estéticos, porque o valor está na exteriorização de uma marca pessoal, salientou João Bucho.

O arte-terapeuta funciona como um facilitador neste processo, ajuda a identificar os problemas, o que está mal e o que se deve mudar. A própria pessoa acaba por interpretar aquilo que fez.O terapeuta conduz o paciente na escolha do mediador artístico, ajuda no seu manuseamento, estimula a fantasia e a imaginação para obter uma resposta criativa.

"Nós acreditamos que se formos criativos, pensamos de uma maneira completamente diferente, de uma forma mais fértil e nova. Para nós ser criativo é questionar toda e qualquer premissa, desconstruir o antigo e construir o novo", disse João Bucho.

A duração do tratamento, dependendo do caso, pode ser de um a dois anos.A primeira referência à arte-terapia surge em 1945 no livro "Arte versus Doença", de Adrian Hill, um artista inglês.

Adrian Hill, numa altura em que se encontrava internado com tuberculose, passou o tempo a pintar, um passatempo que acabou por acelerar a sua recuperação. Depois de recuperar, a Cruz Vermelha britânica convidou-o a trabalhar nos hospitais como o primeiro arte- terapeuta remunerado.

O trabalho com arte-terapia em Portugal, no qual a SPAT foi pioneira, no Hospital Miguel Bombarda, foi iniciado na década de 90 com doentes de evolução prolongada.

Ao fim de um ano e meio foram quantificados os resultados e notou-se uma maior facilidade e abertura de comunicação.Nos casos de doentes de evolução prolongada confirmou-se uma maior aproximação com o presente, maior exposição e integração.São alguns destes casos que vão ser apresentados este fim-de-semana, dias 4 e 5 de Novembro, no VII Congresso Nacional de Arte-Terapia, que juntará no Instituto Português da Juventude, em Lisboa, mais de 200 pessoas da comunidade científica, incluindo arte- terapeutas, médicos, estudantes e assistentes sociais.

Durante os dois dias, centrados no tema "Aplicações Clínicas da Arte-Psicoterapia, os especialistas da Arte- Terapia vão apresentar, debater e partilhar casos da arte- psicoterapia com recurso a exemplos clínicos de várias origens, incluindo a experiência desenvolvida no Hospital Psiquiátrico e no PIPS.

Fonte:Lusa[Fim de Notícia]

2 comentários:

  1. Simplesmente maravilhoso seu blog, parabéns também sou Arteterapeuta com abordagem Junguiana e seu blog é uma aula...uma riqueza, se tivesse espaço p ser seguidora eu seria de carteirinha, rsrs. Obrigada por compartilhar...
    Tomei a liberdade de copiar algumas citações suas, mas claro darei os devidos créditos a vc... e se não concordar posso retirar quando quiser, beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Muito lindo este espaço, nossa, passaria o dia todo lendo tudo isso aqui. Lindas citações. Adorei.
    Abraços

    Nao deixe de visitar meu blog .

    ResponderEliminar