Imagética e Artes criativas

Vale aqui comentar as sábias reflexões sobre a cura que a Dra. Jeanne Achterberg, psicóloga americana, professora do Saybrook Institute nos Estados Unidos, fez na suapalestra no XXVIII Congresso da Associação Americana de Arteterapia, em 1997.

Aperspectiva da Dra. Achterberg sobre a cura é que não é suficiente uma mudança apenas na medicina mas uma mudança nos valores humanos. E comenta:

“O futuro está além do que alcançamos conhecer, mas o presente está além do que podemosacreditar, fazemos tanto barulho com a tecnologia que não conseguimos descobrir que o portalmágico está em nossas mentes. Mas o tempo chegou, a revelação já ocorreu, e nossos guardiõesjá viram relâmpagos na obscuridade que chamamos realidade. E agora, entramos naquele breveintervalo que ocorre entre o relâmpago e o trovão.”

Criar novas imagens é fundamental, portanto. E essa é uma das funções da Arteterapia.

Dra. Achterberg acredita que a verdade da medicina é que tudo cura alguém (o que trazmuita confusão às nossas metodologias de pesquisa), nada cura a todos, e nada cura para sempre, nenhuma pílula, poção ou manipulação. Na história dos métodos de cura e da medicina sempre estiveram presentes a imagética e as artes criativas e, quando há doença, os doentes podem contar com um círculo de cura. Dependendo da cultura e do tempo, coisas distintas são colocadas nesse círculo, quimioterapia, radiação,manipulação, antibiótico, cristais etc.

Mas o que Dra. Achterberg realmente acredita é que a cura está em outro lugar: nas nossas mentes, na nossa alma. Os vínculos formados nesses círculos de cura são invisíveis e poderosos, podemos chamá-los de amor, contato humano, intencionalidade àdistância, preces, vibração, energia, desenvolvemos vários nomes para isso, mas oimportante é que nesse círculo algo acontece, e acontece em todas as culturas atravésdos tempos.

Dra. Achterberg chama de imagética os sonhos, as visões, as imagens, que levam a insights para atribuição de significados e renovação de valores mais importantes para os seres humanos, fenômeno largamente comprovado na história da humanidade como fontede medicina e cura. Imagética é simplesmente pensamento com qualidade sensorial. O uso da imaginação tem provado ser intervenção poderosa em muitos aspectos das doenças físicas.

Pesquisas demonstram que cerca de 60% das pessoas tem imagens visuais. Essas imagens podem ser também auditivas e olfativas. O uso da imagética, da imaginação edos processos simbólicos na medicina e na cura é uma poderosa estratégia paraprovocar mudanças em pensamentos, comportamentos e/ou processos fisiológicos. No uso da imagética para cura, encontramos alguns ingredientes básicos e centrais quesão necessários:

Um lugar especial - um espaço no ambiente onde a pessoa possa sentir-se numespaço sagrado, ritualístico;

Tempo e regularidade – pesquisas mostram que o tempo necessário para usar aimaginação como um recurso de cura é 22 minutos, mais ou menos 3. A maioriadas experiências de meditação tem essa duração;

Intenção – dedicar um tempo e adentrar o espaço sagrado que a pessoa crioupara si mesma, ou seja, sua intenção, é mais importante do que a forma devisualização;Sistema de apoio – pessoas que podem facilitar o processo de cura formando ocírculo de cura, anteriormente citado;

Estado alterado de consciência – necessário antes que qualquer cura significativaatravés da imaginação possa se dar;

Crença e Fé - O círculo de cura, os vínculos invisíveis, a presença das artes criativas, fé, intenção,lugar, tempo. E todos unidos em um só processo simbólico! O sagrado e processos decura são absolutamente entrelaçados na psique. Parece fácil manter-nos saudáveis comessas práticas.

Qual é, então, a natureza da doença? Por que, com uma freqüência e intensidadevariáveis, adoecemos? Talvez o mais importante não seja saber o que nos faz adoecer,mas sim o que nos torna saudáveis. Esse é o foco do trabalho em Arteterapia.

Texto de Marta E. Maltoni Gehringer

Sem comentários:

Enviar um comentário