Arteterapia

“A arteterapia baseia-se na crença de que o processo criativo envolvido na atividadeartística é terapêutico e enriquecedor da qualidade de vida das pessoas, tanto das que experienciam doenças, traumas ou dificuldades de vida, como das que buscam desenvolvimento pessoal. Por meio do criar em arte e do refletir sobre os processos e trabalhos artísticosresultantes, as pessoas podem ampliar o conhecimento de si, dos outros, aumentar suaauto-estima, lidar melhor com sintomas, estresse e experiências traumáticas,desenvolver recursos físicos, cognitivos e emocionais e desfrutar do prazer vitalizador dofazer artístico.”

Fonte-Associação Americana de Arteterapia

Arteterapia é um termo que designa a utilização de recursos artísticos em contextos terapêuticos; pressupõe que o processo do fazer artístico tem o potencial de cura ecrescimento quando o cliente é acompanhado por arteterapeuta experiente, quem comele constrói uma relação que facilita a ampliação da consciência e doautoconhecimento, possibilitando mudanças. Não se trata de simples junção da arte com a psicologia, mas de uma abordagembaseada num corpo teórico e metodológico próprios, abrangendo conhecimentos emhistória da arte e dos pioneiros e contemporâneos de maior proeminência naarteterapia; dos processos psicológicos gerados tanto no decorrer da atividade artísticacomo na observação dos trabalhos de arte; das relações entre processos criativos,terapêuticos e de cura e das propriedades terapêuticas dos diferentes materiais etécnicas. Assim também é a Psicologia Transpessoal, uma abordagem com um cabedal teórico e metodológico próprios, cujas primeiras intuições e experiências remontam aosprimórdios da humanidade.

De acordo com a definição de Vera Saldanha, “a Psicologia Transpessoal pode ser conceituada como o estudo científico e a aplicação dos diferentes níveis de consciência em direção à Unidade Fundamental do Ser. Ela favorece ao indivíduo a vivência daplena luz, de onde emerge o ser integral, vivenciando um estado de mente mais lúcido edesperto.” Portanto, essa abordagem trata das questões mais significativas, sagradas emisteriosas para o ser humano desde que ele existe: a busca de um re-ligare, da Unidade. Ambas as abordagens preconizam a “cura” de sintomas físicos, de “feridas da alma” e oencontro consigo mesmo e com o Eu Superior. Trataremos, neste trabalho, decorrelacionar conceitos e métodos de ambas as abordagens, no sentido de integrá-los em um fazer terapêutico que possa ser ao mesmo tempo lúdico, simbólico, criativo eque possibilite esse encontro com o divino dentro de cada um.

Texto de Marta E. Maltoni Gehringer

Sem comentários:

Enviar um comentário